quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

A noite encantada

         Hoje foi o dia em que ela se vestiu de renda e fita pra brincar o carnaval. Um juízo doido de roda fez seu brincar. Não procurava nenhum mascarado, já sabia onde encontrar, mas não queria. Cantava como Narinha: “mas é carnaval, não me diga mais quem é você, amanhã tudo volta ao normal, deixa a festa acabar, deixa o barco correr, deixa o dia raiar que hoje eu sou da maneira que você me quer.  O que você pedir eu lhe dou., seja você quem for seja o Deus quiser.”  E saiu pelas ruas em festa no meio da chuva.
        Com espírito livre e um pano de confete na mão festejava não sei o quê. No meio daquela gente encontrou quem cantasse junto e quem jogasse confetes também. “Hoje o samba saiu procurando você...”.  Mas não procurava nada além de degustar aquela alegria.
Maria,  Carolina, Márcia ninguém sabia dizer, mas o que importava um nome? Desde então a menina sem nome encantou e vagueia pelas ruas de carnaval e confete.
--------------
post de aniversário pessoal... bueno.. acho que esse conto representa bem meu sentimento do dia...
passei vários dias doente (foi meio sério),  tou me recuperando, mas não o suficiente pra grandes farras. Coisas meio chatas no meu dia, mas algo dentro de mim ainda é paz e sei lá é meu dia né? (Ou talvez esteja começando a aprender um pouco da paz do meu amigo Neguinho...)
Beijo e obrigada pelas felicitações ou mesmo àqueles que pensaram um segundinho em mim hoje.

Belinha aqui do lado aguentando a chatice de esperar eu postar ;p

9 comentários:

Thay disse...

Parabéns (atrasado)!! :D

A história realmente tem um encantamento...e a personagem serelepe que desfruta esse carnaval noturno é tão suave!!

Belo!!

bjus

Gabriel Garcia disse...

até que ponto a folia de mômo libera as múltiplas facetas da personalidade humana?

Esyath Barret disse...

Olá, tudo bem? Bem vinda aos Blog´s de Quinta. Espero que realmente fique saudável logo...
Quanto ao conto eu gostei... É curioso se observar como o carnaval em parte representa a verdadeira natureza humana...
Simplesmente vagamos nas festas, sem nomes e rostos, mas ao mesmo tempo sendo nós mesmos, em busca de um par... em busca de equidade... em busca de uma face...
Gostei muito do seu texto!

Beijos (Des)conexos!

hermesveras disse...

Oi querida. Que belo texto, eu andei pensando assim também por alguns dias. Aliás, vai e volta, que nem as ondas. Bom, eu espero que você melhore mais e mais. É preciso um caos cá dentro para brotar uma estrela dançante daqui.

ciarlini disse...

Espirito festivo bem representado!Espero que você melhore até o carnaval, pra gente curtir bem muito!otimo texto!

Thiago César disse...

alegria de carnaval nunca enjoa!
melhoras!

Alice Sales disse...

Gostei muito do seu blog,é tão convidativo e doce. E,claro,escreves muito bem! parabens!

CA Ribeiro Neto disse...

Realmente, o encantamento esteve presente nos nossos textos!
Pequenos, mas falaram tudo, também!

Paz pra você, aprenda mesmo!beijos

Paulo Henrique Passos disse...

"A nega dançando e a negada babando na fantasia". só lembrei dessa música do Lenine oh.

Hoje, tu já deve tá melhor - espero - então continue assim, com saúde