quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Sonho de virtude

Toda sorte de critérios

Para um verso perfeito

Cria em mim uma fadiga

Depois que leio o que está feito


Seguia sempre a esperança

Era um sonho de criança

De menina-moça, de mulher


Segurar as letras em punho

Construir com elas um sonho


Mas fazê-lo com beleza

Água fértil de singeleza

Com o peito jorrando

De pureza e de verdade

Esquecendo da secura e da maldade

Que transformam o menino em homem

E também o consomem

------------------

Bom...

Escrevi essa poesia, a primeira rimada que me meto a fazer. Fui fazendo... quando vi ela tava ali, olhando pra minha cara e zombando de mim, da minha insegurança. Como tudo em minha vida está ela aí pra que todo mundo veja e critique.

------------------

Sem problemas Marcela, ta tudo certo agora. Obrigada por corrigir. O samba não postei todo pra matar vocês de curiosidade mesmo (pretensiosidade imperando!). hehe. Na verdade não postei a letra toda porque ainda quero mostrar a uma pessoa antes, mas em breve postarei tudo.

Sim, sim Freddy, o tenho ouvido muito ultimamente, aliás. Culpa de vocês hehehe. Tu ainda me mata com as músicas que me manda dele¬¬

Pois é Hermes... bem que queria ficar de vez mesmo, mas tenho de resolver umas coisas aqui antes ainda, faculdade é uma delas. Sim! Final do ano tou aí de novo! Tens razão, não tem nada a ver com o sentido dos versos a história que criates, quando você ler a poesia toda talvez faça mais sentido, ou não também, heheh. Que história linda a de vocês!! *-* Uma sugestão que eu mesmo tenho utilizado, tudo bem que não é tão romântico e fofinho como é fazer com as flores de verdade, mas enfim.... Também tenho mania de me enfeitar com as pobres das florzinhas, mas pra deixa-las em paz decidi comprar algumas artificiais, algumas imitam bem as de verdade.

Nem postei semana retrasada cabeça, seu doido! É verdade, nem nos despedimos, mas nos vemos no fim do ano pode deixar!

Também gostei, Pedro, heheh. Pontos de interrogação são sempre bons. A dúvida é boa por mais que arda às vezes, mas é melhor que a verdade definitiva e sempre nos dá espaço pra pensar.

------------------

No player: Cuitelinho – Nara Leão

9 comentários:

Mônica Maria Nascimento Silva disse...

Tá lindo maninha, principalmente os últimos versos, a abordagem de coisas simples, do, muitas vezes, 'perder' inocência e não se sabe até ponto isso pode ser bom... Resumindo: Gostei muuuito mesmo! Beeeijos =*

Thiago César disse...

axo q essa poesia dava outro samba, oh! hahai!

pretasebrancas disse...

samba!
olha aí: "deixa que a moça decida ousar, deixa a moça escolher que samba vai tocar.." heheheheh

ficou lindo, viu?
"Segurar as letras em punho
Construir com elas um sonho".

Eu queria ser escritora quando eu era pequena ^^
meu punho não aguentou essa construção!

=*

Hermes disse...

Tô ficando é doido! Que nem um poema aí do Pedro Gurgel, esse teu me fez ver algumas materializações. A primeira estofre lembra bastante alguns poemas que fiz, que é justamente falando da construção do poema e da não satisfação. A segunda já pensei que tu ia falar moça-flor, huehauheaue. Mas a que me fez viajar foi a terceira, vi uma enorme mão segurando todas as letras e símbolos do universo, sem que eles escapem.
"Esquecendo da secura e da maldade que transformam o menino em homem" ótimos dois versos. Eu queria esquecer essa secura e maldade, devia ter continuado menino. Acho que a poesia deveria acabar aqui, não gostei muito do ultimo verso.


E sobre as flores artificiais, eu não gosto muito não, pelo menos as que eu conheço. Tem alguma dica, indicação a respeito? Abraço!
PS: To com mania de digitar muito em alguns comentários. Isso é ruim?@_@

Hermes disse...

ah, e sobre o poema que postei que a Emily me fez, sim, é muito lindo e eu realmente ganhei! ahuahuaha

CA Ribeiro Neto disse...

Por conhecer muitas coisas, acabo imaginando muitas outras, que certamente não era a idéia inicial!

Pedro Gurgel Moraes, um Poeta disse...

"axo q essa poesia dava outro samba" (2)

=D

respeite!

Paulo Henrique Passos disse...

Apesar de não ouvir muito samba, "axo q essa poesia dava outro samba" (3). A sonoridade é muito forte.

Foi mal por não ter comentado no post anterior. Mas, ainda essa semana vejo os vídeos. agora tô um pouco apressado.

CA Ribeiro Neto disse...

Dalila, temos mais um membro do Blogs de Quinta:

Zé Neto - http://pertodoser.blogspot.com/

Adcione-o por favor!


beijos