sexta-feira, 31 de julho de 2009

Devaneios de uma Flor


Uma estrada, sozinha , vagando na fumaça de seus pensamentos.
Não havia mais que duas décadas. Sempre sê-lo consigo mesma. Eis seu lema. Sê-lo para si. Agora não mais o era. Era um conjunto, apesar de não saber por quanto tempo.
O vento da noite a acalmava, ao mesmo tempo que lhe dava medo. Apesar do medo, que aprisiona, se sentia mais livre que nunca. O cansaço era eminente, mas não o suficiente para exaustão. Por isso andava sozinha no escuro. Seguia a esmo, mas no fundo sentia que estava indo para algum lugar.
A flor no cabelo era sua marca e sina. Por ela era identificada, a moça da flor, ao mesmo tempo que lhe conferia uma responsabilidade, a de carregar consigo toda a dúvida e anseio de mulher. Com sua flor, se sentia mais segura, o cerne de sua alma estava representado ali. No desabrochar daquela flor, se via seu próprio desabrochar. Era sua vida, era sua sina, era sua dor, era o seu amor. Amor pela vida, amor pela cidade, apesar de não pertencer a ela, amor pela humanidade, amor pelas pessoas. Outro sentimento estava surgindo, cativado com receio, à sombra de uma árvore, vendo um programa de futebol.
É sina de flor, ser flor a vida inteira. É sina de mulher, “ser mulher a vida inteira”.
-----------------
Atrasada 48 minutos...

-----------------
Sim adoro essa cidade, Cabeça *-*. Meu sonho me mudar pra cá. O que se der tudo certo não vai tardar muito a acontecer. Fico feliz que tenha gostado da minha “curtinha” hehhe.
Bem que eu queria oh Pedro!! Personagens tão ilustres!! Hehe. Seria uma honra. Quem sabe isso aconteça antes que se espere :p.
Pois é, ainda bem admite, Carlim. Hehehe. Quanto a se achar... Vocês se acham de um jeito diferente então não é possível comparações.
É verdade Hermes. Pedro gostou de tirar onda da minha cara mesmo. Mas ouvi dizer que quando ele gosta de alguém ele tira onda, então ele não vai se importar se eu bater de vez em quando, como prova da nova amizade.hauehuahuheauhe. Você tem razão. A cidade é deveras inspiradora!
Brigada pelo elogio à mim e à poesia, Paulo Henrique
Divugo mesmo oh Freddy. O Blog é meu ;PP ahuehuhea. Entrou mesmo pros blogs de quinta foi?? Bom mesmo!
-----------------
No player: Só as mães são felizes - Cazuza





10 comentários:

Pedro Gurgel Moraes, um Poeta disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Gurgel Moraes, um Poeta disse...

É tanta Flor
e tanta moça!(;)
Que tem Moça virando flor,
Tem Flor transformando moça,
Tem Moça-Flor inspirando moço,
Tem amor virando alvoroço,
Revirando tudo de novo
Até que um coração se exploda!

abraços
(e pode bater sim!)

Pedro Gurgel Moraes, um Poeta disse...

a postagem removida foi minha, é que eu ajeitei um errinho que tinha nela!

CA Ribeiro Neto disse...

Devaneios são sempre bom de serem lidos. Ainda mais assim, quando se é interessante.

Essa cidade tem magia, Dalila. A quarta ou quinta maior capital do Brasil, mas pequena com ela só. Quase sempre encontro alguém ao acaso. Você mesma, conhece tão poucos por aqui, e já encontrou gente assim. Essa cidade tem o poder de unir as pessoas. Repito: essa cidade tem o poder de unir as pessoas.

Thiago César disse...

hohoia, textinho maroto hein...
axo q entendi!
:P

Hermes disse...

Viva ao devaneio. Essa palavra é tão engraçada...Mas é verdade, essa cidade tem o poder de unir as pessoas! E é tanta flor no teu blog que eu fico lembrando de minha amada todo tempo ahuahua, depois te explico o motivo. Abraço! kk

Paulo Henrique Passos disse...

Bem situacional o texto, dá para identificar bem os fatos.

Paulo Henrique Passos disse...

Ah que pena! mas foi ótimo te conhecer.

Até a próxima. Um abração.

Marcella disse...

Concordo com o Carlinhos.
Devaneios sempre são bons de ser lidos.
Melhor mergulhar em um devaneio do que boiar em uma divagação. com certeza.

Bem vinda!

pretasebrancas disse...

eu me perco dentro de mim!

és bem-vinda, flor! sempre!