terça-feira, 7 de julho de 2009

Bom pessoal... queria pedir desculpas por ter passado mais de uma semana sem postar e pior... de não estar comentando no blog de todo mundo nem com grande frequência. Ando com muitos trabalhos na faculdade (fim de semestre é fogo cês devem saber). Mas em breve espero voltar à normalidade! Como a maioria do pessoal dos blogs de quinta é de Fortaleza. Gostaria de dizer que estou indo praí na próxima semana! Se pudesse vê-los seria muito bom! Gostaria de agradecer pelos comentários e espero que o blog fique cada vez melhor! Grande beijo!!

Hoje vou postar um texto sobre a tarde bonita que vivenciei hoje. Espero que gostem!


Hoje estava caminhando pra casa como sempre faço por volta das 5 da tarde. No caminho passo por uma ponte. Minha casa é um tanto longe da faculdade então metade do percurso pego uma van e o restante venho caminhando. Em geral gosto de fazer isso. A cidade em que eu moro não é assim tão grande e o meu bairro é quase zona rural apesar de ser só 15 minutos a pé do centro. Gosto de apreciar a paisagem no caminho. Por isso gosto tanto de vir a pé pra casa. A ponte é em parábola e quando chego ao ponto mais alto às vezes paro um pouquinho pra ficar admirando a curva do rio que dá pra ver de lá. O céu me presenteia com cores lindas unidas ao verde da vegetação da margem e o sol refletido no rio. Ao olhar pra frente tenho uma linda visão bucólica. Nessa época de fim de inverno é muito bonito. Está tudo extremamente verde e com a iluminação do fim de tarde tudo parece extremamente exuberante. De cima da ponte dá pra ver o bairro inteiro. Parecem aquelas cidadezinhas do interior bem pequeninhas,com a torre da igrejinha rodeada de verde e de casinhas, não que Parnaíba não possa ser considerado interior mesmo, mas essa parte da cidade é ainda mais característica. Sempre gosto de ouvir música no caminho, consigo sentir melhor a paisagem. Ouvi um pouco de Beatles e depois achei necessário um pouco de Tom e Ellis. Passei por um açude pequeno que se formou por conta da argila que é extraída pra fazer tijolos. Tudo bem verde ao redor dele também. Uma vaquinha preguiçosa comendo seu capim e as carnaúbas dando um ar antagônico ao verde. Quase chegando em casa, perto da praça da igrejinha me deparo com uma cena inusitada e bela. Três mulheres grávidas orgulhosas de suas barrigas conversando. Dentro de todo aquele verde parecia bem pertinente um cena como essa. Seus rostos iluminavam a vida daquele lugar. A leveza com que conversavam parecia imprimir todo aquele sentimento ao mesmo que tempo pulsátil, tranqüilo por saber que a vida fluía em uma dança iluminada de sol de fim de tarde.





---------

Bom... vi uma coisa no blog do Carlim que gostei. O negócio dos comentários posteriores. Especialmente falar sobre o que está ouvindo na hora do post. Então vou imitá-lo um pouco! hehehe. Ah sim! gostaria de deixar aqui um agradecimento a ele por ter editado meu blog! Não tenho muita paciência pra essas coisas e ele fez a grande bondade de ajudar uma pessoa preguiçosa hehehehe. Brigada vein!!!


---------

No player: Shine On You Crazy Diamond (Part One) - Pink Floyd



6 comentários:

CA Ribeiro Neto disse...

Por nada, Dalila! hehehehe

Eu me divirto mexendo nessas coisas de blog! hehehe

Bela crônica, uma boa descrição, principalmente o final, pois ele saiu do ver só o óbvio e querer enchergar mais além.

Pode me copiar sim! hehehehehe

A moça da flor disse...

só pra quem tiver curiosidade de saber sobre a imagem... é da ponte mesmo :D

Hermes disse...

Me deu vontade de fazer as malas e correr loucamente para sua cidade. Ficou tão bonita a crônica que eu consegui ver o que você estava narrando. E gotei muito do que vi. Quero conhecer! Se for ao menos parecido eu vou gostar.

Paulo Henrique Passos disse...

Que inveja!
Imaginei o vento, a brisa fresca, batendo na cara. Aahhhh!

Thiago César disse...

nossa, senti até uma paz interior ao ler sua descrição da cidade... dou muito valor a esse aspecto interiorano...
ah sim, e está desculpada! hehe!
fim de semestre eh osso mesmo...

Síntese de uma espécie inteira disse...

Dalila, minha querida, adorei sua crônica, você soube retratar brilhantemente a travessia numa tarde melancólica, por uma das vistas mais bonitas deste país, que é nossa ponte Simplício Dias. Confesso que também vou observando todos os dias quando cumpro meu itinerário até meu trabalho, as belezas da natureza e do cotidiano que se formam ao longo daquela ponte, do Porto, lugar de tantos amores, do rio, trabalho pra uns e lazer de outros. Enfim da vida nesta terra. Obrigada por enaltecer Parnaíba, com suas belas palavras, a cidade que respira poesia. Salve esta terra que na voz deste rio de mesmo nome, nos envolve e nos embala.